Tenebrio Molitor

O Inseto

O Tenebrio Molitor é uma espécie de inseto da família dos tenebrionídeos, popularmente conhecido como: Tenebrio, Tenebrio Comum, Bicho-do-Pão ou Bicho-da-Farinha. É um inseto holometabólico, aquele que faz metamorfose completa em quatro estágios de mutação:

  1. Ovo;
  2. Larva;
  3. Pupa (crisálida);
  4. Besouro (imago, adulto)

Em qualquer um dos seus estágios, o Tenebrio Molitor não apresenta odor ou ferrão, não pica, não excreta nenhuma substância desagradável ou prejudicial ao homem, como também não é transmissor de nenhuma doença.

Tamanhos

  • Larvas: Após a última fase de crescimento, quando fêmeas tem de 20 a 30 mm, enquanto os machos de 20 a 25 mm.
  • Pupas: Após a metamorfose, o tamanho da pupa será exatamente o mesmo na fase besouro do Tenebrio Molitor.
  • Besouros: Não existe crescimento algum desde a fase pupa à fase besouro. O tamanho dos besouros "macho" variam entre 10 a 15 mm e os besouros "fêmea" entre 10 e 18 mm.6
Tenebrio Molitor

Alimento Saudável

Benefícios Psicológicos

Análise Nutricional

Tenebrio Molitor X Zophobas Morio (T.Gigante)

Macho X Fêmea

O Tenebrio Molitor, quando em forma de larva, é grandemente utilizado em todo o mundo como alimento para muitas espécies de aves, peixes, répteis e pequenos mamíferos, porque é uma das mais nutritivas fontes de proteínas de alta digestão, gorduras, fósforo, vitaminas, carboidratos, cálcio e fibras.

Pode parecer nojento à primeira vista, mas na verdade as larvas de Tenebrio Molitor são a fonte de alimento mais limpa e mais saudável que existe. Em muitos países, as larvas de Tenebrio Molitor fazem parte do cardápio cotidiano dos seres humanos.

Em maio de 2014, três voluntários chineses, um homem e duas mulheres, passaram 105 dias dentro de uma biosfera fechada ( Moon Palace One ) na Universidade de Pequim de Aeronáutica e Astronáutica somente comendo larvas de Tenebrio Molitor e o resultado da experiência foi um enorme sucesso.

Um dos maiores benefícios no fornecimento de larvas "vivas" de Tenebrio Molitor como alimento aos animais é o fator psicológico, porque excita o instinto predador. Afinal, a vida monótona do cativeiro faz muitos animais adoecer, o que muitas vezes até provocam comportamentos autodestrutivos, como a queda no consumo de comida e até mesmo a automutilação. A presa viva, ativa e suculenta, é sem dúvida alguma, a melhor alternativa contra a ociosidade para qualquer espécie de animal em clausura.

( Fonte: Nutritional Analysis • Grubco Company )
Umidade 62.44%
Proteína 20.27 %
Carboidratos 3.62 %
Fíbra 1.73 %
Cálcio 133 ppm
Gordura 12.72 %
Vitamina C 38.1 mg/kg
Fósforo 3345 ppm

O Tenebrio Molitor e o Zophobas Morio (vulgarmente chamado de Tenebrio Gigante) são 2 espécies diferentes de insetos (Coleópteros), porém apresentam várias semelhanças entre si, como por exemplo passar por metamorfose, ou seja, pelos quatro estágios em seu ciclo de vida — ovo, larva, pupa (crisálida) e besouro (imago, adulto) — além de apresentarem valor nutricional muito semelhante. Sendo, a principal diferença entre eles, considerando seu uso como alimento vivo, está relacionada ao tamanho máximo que cada larva atinge: até 30mm o Tenebrio Molitor "fêmea" e até 70mm o Zophobas Morio "fêmea".

Besouro: O "macho" possui um órgão copulatório tubular rígido, que é exteriorizado sob suave pressão.

Larva: A determinação do sexo na fase larva envolve a observação do desenvolvimento de estruturas genitais localizadas no esternito (escudo ventral), imediatamente caudal, visível no sétimo somito (anel).

A larva "fêmea" tem um inchaço maior que diverge em duas papilas (saliência cônica) como mamilos.

Na larva "macho", o inchaço é consideravelmente menor e as papilas, muito discretas, não divergem ou se projetam muito.

Pupa: Na prática, o sexo na fase pupa é determinada a partir da ausência ou presença de grandes papilas perceptíveis na pupa "fêmea".

Ciclo de Vida

Larva Curvada ou Imóvel

Canibalismo

Exoesqueleto

Larva Branca

Larva Preta

As larvas quando estão para entrar na fase pupa parecem estar mortas, ficam imóveis e curvadas, mas podem ser utilizadas como alimento, sem causar problema algum.

A atenção com a alimentação rica em proteínas e a hidratação devem ser observadas, pois:

» Larvas podem comer ovos e pupas.

» Besouros podem comer pupas e ovos.

Durante os 120 dias da fase larva, o T.Molitor faz 15 trocas de exoesqueleto ( pele, casca ).

A cada nova troca de pele, a larva fica totalmente branca, mas continua sendo saudável para o consumo sem problema algum.

A larva morta fica totalmente preta e seca.

Deve ser retirada do criadouro o mais rápido possível para evitar mau cheiro e moscas.

Alimentação

Larvas e besouros do Tenebrio Molitor devem ser mantidos em farelo de cereal seco ou semelhante, estando disponível em todos os momentos nos seus respectivos criadouros com 5 a 10 cm de altura.

Contenção: Ofertando apenas farelo de trigo contém o crescimento rápido das larvas, mas as mantém saudavelmente vivas. O que é ideal para quem apenas quer usar as larvas como alimentação para seu(s) bichinho(s) de estimação. ( Veja também o tópico "Refrigeração" ).

Substrato Enriquecido: Ideal para quem quer criar Tenebrio Molitor, pois fortalece e desenvolve muito mais rápido as larvas. Deve também estar no criadouro dos besouros para que as minúsculas larvas após a eclosão dos ovos, tenham alimentação farta e saudável. ( Veja o tópico "Criação Doméstica" ).

Receita 1 kg (1000g)
Ração de Curió 100 g
Farelo de Soja 100 g
Farelo de Aveia 100 g
Leite em Pó 100 g
Ração de Codorna 200 g
Farelo de Trigo 400 g

Hidratação

A fonte de umidade das larvas pode ser ofertada uma vez por semana sobre uma placa de acrílico, plástico (rígido ou flexível), madeira, vidro ou cerâmica. Os besouros precisam de mais hidratação do que as larvas, portanto manter sempre uma fonte de umidade diariamente.

Fontes de Umidade

Verduras: retalhos de folhas de acelga, couve, almeirão, repolho, ...

Frutas: rodelas finas com ou sem casca de melão, maçã, kiwi, caqui, tomate, ...

Legumes: rodelas finas com ou sem casca de batata, chuchu, cenoura, mandioca, ...

Atenção: Retirar as sobras e/ou vestígios de umidade do substrato após 12 horas para evitar fermentação e criação de fungos.

Refrigeração

Em recipiente com ração nova e respiro, mantido em temperatura fria entre 0º a 10ºC, abrandará o ciclo em todas as fases e pode ser mantido assim por muitas semanas.

O Tenebrio Molitor se movimenta lentamente, mas continua a se alimentar, mesmo sob refrigeração.

Atenção: Nunca coloque o Tenebrio Molitor, em qualquer uma das fases, no congelador.


Higiene & Manutenção

Os criadores domésticos – embora acreditem ter uma colônia saudável – acabam constantemente com infestações por fungos em seus criadouros, promovendo assim intoxicações pela ingestão de microtoxinas pelo(s) seu(s) bichinho(s) de estimação.

Os besouros mortos e larvas pretas, devem ser retirados diariamente dos seus respectivos criadouros e uma vez por semana, a troca do substrato, como também, a limpeza das paredes internas do criadouro.

No caso do criadouro que estão as larvas, a poeira ( fezes ) deve ser peneirada com peneira de fina trama e substituída por substrato novo. Isso vai manter os criadouros sem odor algum.

No criadouro dos besouros não peneirar de forma alguma até se tornarem criadouros de larvas e que elas fiquem totalmente retidas na trama da peneira. ( 2 a 3 meses )


Criação Doméstica

A proposta de ter uma criação de Tenebrio Molitor para alimentar animais de estimação requer muitos cuidados e muita paciência. Afinal, bichinho é sempre bichinho, e exige uma atenção total.

Embora denominamos "Colônia", as quatro fases do Ciclo de Vida do Tenebrio Molitor, devem ficar sempre separadas, porque as larvas comem os ovos e os besouros comem as pupas e os ovos.

Portanto, são necessárias três caixas e um pote para ter uma criação de sucesso com crescimento muito mais rápido e saudável.

O Tenebrio Molitor prefere ambiente com temperatura em torno de 26º a 32º Celsius, mas pode ser criado em temperatura ambiente sem problema algum.

O Tenebrio Molitor exige ambiente seco, escuro, arejado, farta alimentação e hidratação moderada.

O Tenebrio Molitor detesta ambiente iluminado e vem a óbito se expostos a luz solar direta.

Curiosidade: Pegue uma larva totalmente branca e a coloque em um ambiente iluminado pelo sol. A larva ficará escura em apenas alguns segundos. Não é para colocar na luz solar direta.

Nunca se deve mergulhar o Tenebrio Molitor em líquido algum. Em regiões muito secas é interessante vaporizar suavemente com água mineral o criadouro para umidificá-lo pelo menos uma vez por semana.

Pupas

A pupa é inativa. Não se alimenta ou movimenta, mas responde ao toque fazendo movimentos dorso-ventrais ou circulares com o abdômen.

As pupas devem ficar isoladas em um pote, pode ser sem tampa, mas que seja arejado e seco. O pote pode ser guardado dentro da caixa das larvas ou dos besouros, sem problema algum. Coloque 1 centímetro de ração no fundo, que servirá apenas para acomodação, pois as pupas não comem absolutamente nada e absorvem no ar a umidade que necessita. Quando terminar a metamorfose de pupa para besouro (cor bege), pegue-o suavemente com uma pinça e coloque-o na caixa dos besouros.

Besouros

A caixa de criação dos besouros deve ser bem arejada, com ou sem tampa, guardada em lugar seco e escuro. O substrato deve ter pelo menos 5 centímetros de altura. A hidratação por meio de frutas ou legumes deve ser constante, pois os besouros necessitam de boa umidade. Os legumes e frutas devem ser cortados em rodelas bem finas e postos sobre uma placa de acrílico, plástico (rígido ou flexível), madeira, vidro ou cerâmica, para que não tenham contato com o substrato, evitando assim a fermentação e criação de fungos. Em períodos muito quentes pode-se borrifar suavemente água sobre os besouros.

O correto é deixar apenas por 15 dias os besouros acasalando na caixa e depois transferir os vivos que restaram para outra caixa, deixando apenas o substrato, pois certamente já existem muitos ovos. Os besouros mortos devem ser sempre excluídos em qualquer momento de todo o processo de criação, pois exalam um odor horroroso após algumas horas. Os besouros do Tenebrio Molitor precisam de mais umidade que as larvas e não precisam ser aquecidos.

Larvas

A caixa de criação das larvas deve ser bem arejada, com ou sem tampa, guardada em lugar seco e escuro. O substrato deve ter pelo menos 5 centímetros de altura. A hidratação por meio de frutas ou legumes deve ser semanal, pois as larvas não necessitam de muita umidade, são iguais as pupas que absorvem no ar. Os legumes e frutas devem ser cortados em rodelas bem finas e postos sobre uma placa de acrílico, plástico (rígido ou flexível), madeira, vidro ou cerâmica, para que não tenham contato com o substrato, evitando assim a fermentação e criação de fungos. O substrato deve ser substituído semanalmente, deve ser por peneiração fina, exceto quando as larvas, ainda minúsculas, estiverem passando pela trama da peneira. Nesse caso é necessário aguardar o crescimento, mas nada impede de retirar sujeiras e os exoesqueletos por meio de sopro que estão na parte superior do substrato. A hidratação semanal deve ser feita logo em seguida a essa higienização da caixa das larvas.

Ovário

A caixa que contém os ovos, aquela mesma que foi retirado todos os besouros, tem que aguardar o surgimento das novas e minúsculas larvas. Quando as novas larvas tiverem 3 mm poderão ser misturadas com as larvas adultas sem problema algum.


Criadouro - Caixa de Criação
Comentário Final

Tenho visto muitos vídeos pela Internet, onde criadores domésticos fazem a colônia em uma só caixa de criação, é uma verdadeira "lambança", e isso simplesmente me deixa perplexo.

Não se deve colocar tecido de espécie alguma dentro de nenhum dos criadouros. Isso é coisa de 40 anos atrás, quando pouco sabíamos de Tenebrio Molitor, pois não proporciona produtividade alguma.

Seguindo corretamente as instruções técnicas citadas nesta página, certamente os seus criadouros de Tenebrio Molitor serão um sucesso de produção e com larvas saudáveis até para consumo humano.

Um forte abraço ...

Isarael Martinho